20/09/2018

São Paulo Tech Week terá quarta edição no fim de novembro

Evento de inovação e tecnologia espera reunir 50 mil participantes e ajudar capital paulista a ser centro empreendedor

A Prefeitura de São Paulo anunciou ontem que a quarta edição da SP Tech Week, evento de inovação e tecnologia, será realizado entre os dias 24 e 30 de novembro de 2018. "Queremos ser cada vez mais conhecidos como um centro de inovação", disse o prefeito Bruno Covas, durante a conferência, realizada no Spaces, espaço de escritórios compartilhados na zona sul da capital paulista.

Segundo a prefeitura, a SP Tech Week terá mais de 200 eventos diferentes, e a expectativa é atrair pelo menos 50 mil participantes para as atividades, que incluem palestras, workshops, rodadas de negócios e a visita de delegações estrangeiras para conhecer as startups locais. De acordo com Juan Quirós, presidente da São Paulo Negócios, empresa ligada à Prefeitura e voltada ao fomento do empreendedorismo na cidade, já há visitantes confirmados de China, Inglaterra, EUA, Israel, Canadá, Suécia e Dinamarca.

Para Quirós, o evento tem três metas: ajudar as startups locais a conseguir investimentos, compartilhar atenção e parcerias com grandes empresas, além de dar às empresas iniciantes a possibilidade de medir sua força no mercado. Segundo ele, dos 200 eventos já programados, 40 terão a presença ou a participação de visitantes internacionais - entre eles, destaque para o CASE, evento de startups que costuma reunir cerca de 6 mil pessoas. O evento é inspirado em outras "semanas de tecnologia" realizadas em grandes cidades como Londres e Nova York.

"Para nós, Londres ainda é um grande azimute do que queremos fazer como evento", disse Covas em seu discurso, durante a apresentação. Ele destacou que a cidade tem o empreendedorismo no "seu DNA" e lembrou a presença de grandes empresas por aqui, como Google e Facebook, que estabeleceram na cidade centros de incentivo a startups.

Para o prefeito do PSDB, a Tech Week é um evento "necessário", pois tecnologia e economia criativa são os setores que ajudarão a cidade gerar empregos. "Não teremos novas indústrias ou agricultura. Esse é o destino das grandes cidades", disse ele ao Estado. Questionado se as eleições para o Executivo afetam os planos da cidade, Covas disse que "ainda não é possível saber que País teremos depois das eleições", mas ressaltou o apoio ao presidenciável de seu partido, Geraldo Alckmin, considerado por ele o mais preparado para ajudar o Brasil a inovar.

Autor: Terra
Fonte: terra.com.br